Top
 

Ganho de massa muscular

Emagrecer não significa necessariamente trocar gordura por músculos. Para ganhar massa magra, é preciso fortalecer o corpo com atividades como a musculação.

Para crescer, o músculo precisa de sobrecarga. Os estímulos que provocam sobrecarga são: aumento da carga do exercício, duração aumentada (com séries adicionais) ou uma combinação das duas.

Sempre que o músculo se adaptar à sobrecarga, devem ser adicionadas intensidade e mais carga para aumentar a resposta ao treinamento, que deve ser contínuo. E há diferença entre adquirir força e massa muscular.

Após um treino de musculação com carga pesada, ocorre um aumento da produção de proteínas em 24h a 48h. É aí que os músculos crescem. Para essa hipertrofia ocorrer, porém, é essencial descansar a região no dia seguinte.

Consumir proteína e carboidratos antes ou após o exercício também melhora o desempenho, dá mais energia e ajuda a recuperar o tecido. Dormir bem, sem interrupções, é outro fator que contribui para o crescimento muscular.

Assim como a falta de sono, treinar demais, sem repouso, ter uma vida estressante e consumir álcool contribuem para um resultado ruim. Uma hora de treino por vez é suficiente para garantir o retorno esperado – mais do que isso, pode haver desgaste muscular.

 

Fatores que contribuem para ganhar massa:

– Genética

– Gênero (homens têm mais facilidade)

– Alimentação

– Tipo de treino

– Estilo de vida

 

Importância do fortalecimento:

– Ajuda a preservar a coluna, o quadril, as pernas e os movimentos

– O impacto da contração ajuda a renovar as células ósseas, que são produzidas todos os dias

– Para crescer, o músculo também precisa passar por uma sobrecarga

– É importante manter a coluna ereta e o abdômen contraído

 

Benefícios da musculação:

– Reduz o colesterol e a necessidade de remédios

– Garante melhor qualidade de vida

– Diminui osteopenia, osteoporose e dores

 

A musculação só deve ser iniciada quando os ossos pararem de crescer, após a puberdade.

 

Alimentos que regeneram os músculos:

– Leite

– Ovos

– Carnes

– Carboidratos

 

Suplementos:

Suplementos são na maioria das vezes vitaminas, minerais e aminoácidos que complementam a alimentação. Importante para pessoas com carências nutricionais e também para praticantes de atividade física ter um melhor desempenho ou repor perdas nutricionais durante essa prática.

 

Atualmente, no ritmo de vida que vivemos, perdemos muitos nutrientes com estresse, falta de tempo de preparar alimentos saudáveis ou mesmo pelo consumo exagerado de produtos industrializados. Com isso os suplementos passam ser necessários no dia a dia, com prescrição médica ou de nutricionistas.

 

Os suplementos dietéticos são similares aos alimentos em relação aos nutrientes fornecidos, são produtos práticos para ingestão durante atividades, podem servir como auxiliares no aumento do consumo energético ou do aporte vitamínico-mineral. Entre eles, estão: as bebidas esportivas e eletrólitos, os suplementos com alto teor de CHO (como os geis de CHO), os multivitamínicos, os vitamínicos, os suplementos minerais, as refeições líquidas e os suplementos à base de cálcio .

 

Por eliminação, o restante das substâncias ingeridas de forma suplementar à alimentação seria considerado auxiliador ergogênico. Os suplementos dietéticos não promovem aumento de desempenho. O resultado melhor na performance seria uma consequência da capacidade em atender uma demanda nutricional. Ou seja, o atleta não ficaria mais forte ou mais rápido devido ao suplemento, mas conseguiria manter-se em atividade mais tempo, por exemplo. Já o auxiliador ergogênico  teria a capacidade de aumentar a performance, fornecendo substâncias que fisiologicamente não fariam parte da demanda nutricional. Outras classificações surgiram e alguns autores classificam todos os suplementos como sendo ergogênicos porque, de uma forma ou de outra, eles auxiliam na performance.

 

O que são termogênicos?

Os Termogênicos trabalham transformando em energia as calorias provenientes da gordura corporal e da alimentação. Para isso, eles procuram manter o metabolismo acelerado, promovendo uma queima calórica maior ao longo do dia.

Os termogênicos são substâncias, na maioria alimentos, que ajudam o corpo a consumir energia de forma mais rápida acelerando o metabolismo. Isso é alcançado através da termogêneses que, nada mais é do que, o aumento da temperatura corporal.

O consumo dos termogênicos não ajuda apenas na perda de peso. Ele consegue oferecer outros benefícios ao organismo que somando-se torna o processo de emagrecimento muito mais eficaz.

Geralmente, as substâncias encontradas nas fórmulas dos termogênicos são a Cafeína, Sinefrina HLC e Yohimbe.

 

Benefícios dos termogênicos:

A ação dos termogênicos é muito rápida. O principal benefício é a queima eficaz da gordura e o consequente emagrecimento.

 

Além disso, o consumo traz outros benefícios como:

– Redução do apetite;

– Favorecimento do metabolismo;

– Mais energia para os treinos melhorando assim a performance;

– Definição da massa muscular.

 

Efeitos colaterais dos termogênicos:

Qualquer produto, por mais natural que seja, apresenta seus efeitos colaterais, recomendações e cuidados. Os efeitos colaterais que os termogênicos podem causar são similares aos dos estimulantes e, geralmente, aumentam quanto maior for a quantidade consumida.

– Insônia;

– Dor de cabeça;

– Enjoo;

– Arritmia cardíaca;

– Aumento da pressão arterial;

– Agitação;

– Falta de concentração.

Pessoas que possuem problemas cardíacos, diabéticos, dificuldades para dormir, entre outros, não devem ingerir substâncias termogênicas. O melhor é ter a orientação médica e fazer exames antes de começar a tomar. Através de exames é possível saber se os  termogênicos realmente são o melhor caminho para você.

 

Efeitos da baixa testosterona:

O baixo nível de testosterona são aqueles exames que mostram a testosterona livre que fica entre 300 e 900 ngh/dl. O ápice da produção hormonal se inicia entre os 20 e 24 anos de idade. A partir dos 30 anos ela começa a diminuir aos poucos.

A diminuição dos níveis de testosterona entre os homens pode atrair uma série de efeitos colaterais indesejáveis como por exemplo:

– Aumento da gordura corporal;

– Distúrbios do sono como insônia;

– Cansaço e indisposição;

– Aumento do risco de diabetes;

– Depressão;

– Problemas de memória;

– Mudanças de humor;

– Perda de força;

– Obesidade;

– Queda de cabelo;

– Acne;

– Aumento da oleosidade da pele;

– Redução da fertilidade;

– Perda de massa muscular;

– Impotência sexual e disfunção eréteis;

– Atrofia dos testículos;

– Falta de desejo sexual;

As principais causas quem explicam os baixos níveis de testosterona no organismo são a alimentação inadequada e com pouca variedade de alimentos, efeito colaterais de medicamentos ou doenças e até a velhice.

A queda da quantidade hormonal entre os homens é natural ao passar da idade. Estima-se que os níveis de testosterona caiam numa média de 1 % todos os anos a partir dos 40. Isso é um dos efeitos do envelhecimento nos homens.